Buscar

Palabras clave
Título
Autoras/es
Tags

Academia, Género,
Derecho y Sexualidad.

Conocimiento abierto

Compartimos producciones e intervenciones para enseñar, aprender, investigar y tomar decisiones de política pública con el aporte de integrantes de la Red.

Revista IGAL

Red ALAS y Facultad de Derecho de la Universidad Interamericana de Puerto Rico

Ver

Libros

Producidos por iniciativas de la Red Latinoamericana de Académicas/os del Derecho

Explorar

sugerencias

producciones recientes

Capítulo de libro

La Suprema Corte de Justicia Mexicana en la transformación social

Ana Micaela Alterio
2019 | ICON Capítulo Méxicano

Acceder
Artículo

Empleadas Domésticas en Chile

Macarena Sáez

Acceder
Video

LNVH Distinguished Women Scientists Fund laureate of 2019

Lucía Berro Pizzarossa
2020 | Vimeo

The 2019 laureates of the Dutch Network of Women Professors’ Distinguished Women Scientists Fund present their research, tell all about their research stay abroad funded by DSWF, their newly established research collaborations and the impact of COVID-19 on their research plans.

Acceder
Artículo

Justiça social, gênero e tráfico de drogas: um estudo empírico na Defensoria Pública de Buíque-Pernambuco

Débora Santos Cavalcante
2020

Nesta pesquisa analisamos a atuação da Defensoria Pública da Comarca de Buíque-PE enquanto instrumento de acesso à justiça para mulheres encarceradas pelo tráfico de drogas, refletindo por um viés social as diversas situações para que tais mulheres se insiram nesse contexto e acabem presas. Os dados coletados constroem o perfil social das mulheres que se encontram encarceradas na Colônia Penal Feminina de Buíque- PE. Assim a problemática da pesquisa que orientou este estudo foi: de que forma a Defensoria Pública da Comarca de
Buíque tem atuado como instrumento de acesso à justiça para mulheres encarceradas pelo
tráfico de drogas? Trata-se de um estudo inicialmente de caráter bibliográfico com fins
descritivos e explicativos construídos a partir de uma base documental. A investigação
realizada constatou que o perfil social das mulheres encarceradas pelo crime de tráfico de drogas é predominante de negras ou pardas, solteiras, com baixo índice de escolaridade, que na sua grande maioria encontram-se presas, os resultados demonstram de que forma a entrada, a permanência e a saída de mulheres do tráfico de drogas podem ser compreendidas à luz de questões de gênero e assim desmistificando o preconceito criado pela sociedade em relação dessas mulheres e o tráfico de drogas.

Acceder
Capítulo de libro

La brecha ontológica de la dogmática jurídica

Alejandro Madrazo Lajous
2008 | Porrúa

Acceder